A criação de cavalos – paixão e zelo

0
964

Em sua nova coluna, a criadora Flávia Raucci aborda mais duas temáticas da equinocultura – o funcionamento de um haras e o auxílio à compra de cavalos por novos investidores

Por onde quer que eu vá, sempre me perguntam como funciona um haras. A minha reposta é a seguinte: “é igual à uma empresa ou à uma indústria, mas tendo um importante diferencial, a nossa matéria não é prima, são seres vivos”. Saiba mais sobre este tema, bem como receba dicas de como orientar novos apaixonados pelo mundo dos cavalos:

O primeiro passo para iniciar a criação é ter amor por cavalos, escolhendo uma raça com a qual tenha afinidade e uma propriedade que se encaixe no perfil das suas necessidades, levando em conta a boa localização, o acesso fácil, o espaço físico de acordo com a dimensão da sua seleção, avaliando o clima da região, a qualidade do solo e contratando uma equipe de profissionais qualificados, sempre dando prioridade ao bem estar animal.

Hoje em dia existem cursos voltados à equinocultura que nos proporcionam conhecimentos teóricos e práticos, noções de administração, gestão financeira, manejo, nutrição e até correção do solo. A indústria do cavalo cresceu nos últimos anos no Brasil. Nós temos o quarto maior rebanho do mundo, atrás apenas de Estados Unidos, México e China, e a visão sobre o mercado também mudou. Atualmente é visto como uma atividade que gera muitos empregos e ajuda a movimentar a economia dentro do setor do agronegócio brasileiro.

Foto cedida
No Haras Três Rios, o amor pela criação de equinos tem mais de 40 anos
No Haras Três Rios, o amor pela criação de cavalos da raça Mangalarga tem mais de 40 anos

Em relação ao Haras Três Rios, não o encaramos apenas como um hobby. Na nossa família, tratamos-o como um negócio, para que se mantenha vivo e dure pelo menos mais uns 50 anos. Nos últimos tempos, investimos em genética e, hoje, alcançamos um nível de qualidade zootécnica extraordinária da nossa tropa. Disponibilizamos para o mercado cavalos por valores justos, tendo ótima aceitação e satisfação por parte dos clientes.

Um criatório precisa gerar receita e nós conseguimos através desses anos de muito trabalho, experiência, persistência, investimentos e conhecimento equalizar as diferenças. Saúde financeira é fundamental para que o seu criatório não se torne uma grande dor de cabeça. Fomos pioneiros em criar um setor de marketing exclusivo para atender as necessidades do Haras Três Rios, o que tornou a nossa marca ainda mais conhecida e os nossos produtos ainda mais desejados em nível nacional. Criamos o Canal de Vendas Mangalarga, que abrange e atende clientes de todo o Brasil, sendo apoiado por um setor de pós-venda que acompanha a história e a trajetória de cada animal comercializado.

Internamente, possuímos uma estrutura para atender esta demanda e garantir a qualidade do nosso produto. Nosso administrador zela pelo manejo preventivo e acompanha diariamente o estado de saúde dos animais. O veterinário responsável pelo haras realiza visitas semanais ao local, verificando pessoalmente a saúde do nosso plantel, pesando os animais, vacinando e vermifugando a nossa tropa. Nossos treinadores são capacitados e supervisionados por um técnico da raça que os orientam em relação aos treinos, garantindo bom resultado nas principais exposições Brasil afora. Nossos tratadores são treinados para que atendam as necessidades e respeitem os horários de alimentação, higiene dos animais e limpeza adequada das baias. Temos ainda um casqueador, um odonto-veterinário e um agrônomo, contratados para realizarem visitas periódicas.

Hoje podemos dizer que formamos uma equipe multidisciplinar coesa, organizada e com a mesma meta. A falta de zelo pode representar uma catástrofe financeira para a criação e colocar em risco a saúde do plantel. Toda essa experiência veio com o tempo. Fomos aprendendo com os erros e com os acertos. Como dissemos no início da matéria: é preciso gostar de cavalos e estar disposto a enfrentar diferentes e surpreendentes situações. “Estar disponível e presente” é a nossa receita do bolo. E, pode acreditar, ela não falha.

Foto cedida
Criar cavalos é estar atento a todos os detalhes, bem como fazer novas amizades
Criar cavalos é atentar-se aos detalhes e, claro, fazer novas amizades

Acreditem, o amor pela nossa criação superou todas as dificuldades que surgiram nestes 41 anos de história como criadores de cavalos Mangalarga. Valeu a pena! Hoje dispendo boa parte do meu tempo orientando os futuros compradores, que na maioria das vezes chegam empolgados e animados, mas sempre com muitas expectativas e dúvidas nas entrelinhas. Escolher um cavalo parece um processo fácil e apenas visual. Mas não é tão simples assim. É de suma importância que o comprador identifique quais são as qualidades que busca no animal e se certifique de que o cavalo escolhido possua tais características.

Todos os dias atendo compradores com expectativas completamente diferentes. Uns buscam animais dóceis para conviverem com crianças. Outros querem cavalos para participarem de competições, provas e exposições. Atendo também clientes que procuram apenas a beleza, assim como aqueles que se preocupam com a marcha, o equilíbrio e a comodidade de sela para as cavalgadas. E ainda há aqueles que buscam tudo isso num único animal. Nós temos a sorte de criarmos e comercializarmos a raça Mangalarga, que reúne todas essas qualidades. Então não tenho problemas para atender essa demanda.

A busca de informações sobre o animal que você irá comprar, bem como sobre o criatório de origem do produto escolhido são a alma do negócio. Procure animais registrados, o que assegura e valida as informações que você recebeu sobre o animal, como por exemplo a filiação, a idade e a raça. Seja curioso! Pergunte sobre tudo! Procure saber o histórico do criatório: tempo de criação, se possui veterinários e técnicos contratados, como alimentam e nutrem os animais. Visite o local, observe como é o manejo e como os animais são tratados. Conheça os profissionais que lá trabalham, converse com o treinador e, se possível, entre em contato com o proprietário. Crie vínculo com este criatório e assegure-se de que ele fornecerá todas as informações e orientações necessárias para que você inicie com o pé direito no encantador mundo dos cavalos.

Passada a etapa da compra, preocupe-se com as condições do local onde você deixará o seu cavalo. Nem sempre os compradores possuem propriedades rurais, e quando as possuem precisam adaptá-las para atender as necessidades dos animais. Os que não têm recorrem às hípicas e aos centros de treinamento, os quais cobram mensalidade para acomodar, tratar, treinar e exercitar os equinos. Já falamos um pouco sobre isso em outras matérias. Essa escolha deve ser minuciosa. Procure saber se os proprietários, administradores e treinadores residem nos próprios centros de treinamento. Tal detalhe faz toda a diferença, porque estar presente é o que assegura que o seu cavalo estará sendo observado de perto, todos os dias, em todas as fases e etapas.

O que me fascina ao atender futuros usuários e criadores, num primeiro momento, é o encantamento que o cavalo provoca. Eu vejo o brilho nos olhos, assisto paixões nascerem, motivadas pela beleza, magnitude e força que o cavalo possui e, principalmente, pelo desejo de criar vínculo afetivo com o animal escolhido. Por isso, faço questão de acompanhar de perto essas histórias, porque me sinto parte delas. A cada venda que realizo, sinto-me como um padre que celebra um casamento. Parece engraçado, mas é a sensação que tenho. Porque a cada venda realizada nasce uma nova história de amor.

Encerro esta coluna com o depoimento de um personagem muito bacana, Émerson França, um dos mais renomados profissionais do Rádio brasileiro, locutor e humorista dos programas “Band Bom Dia” e “A Hora do Ronco“, na Band FM, e apresentador do “Só Risos“, na Band TV, além de ser o dono da voz-padrão da Nativa FM. “Você que nunca teve contato com os cavalos, preste atenção no que eu vou falar: vale a pena! Vá conhecer um haras, uma hípica ou um centro de treinamento. Tente se aproximar desse animal imponente, mantenha contato, olhe nos olhos e converse com ele. Isso faz bem para a alma! Observe os seus movimentos, a sua linguagem corporal, comunique-se com ele. É gratificante, principalmente àqueles que têm crianças. Faça cavalgadas com a família e com os amigos. A sensação de bem-estar é inexplicável. Eu sou parceiro dos Raucci, do Haras Três Rios, há alguns anos e estar perto dos cavalos me faz um bem danado”.

Divulgação
Émerson França, um dos profissionais de maior prestígio do Rádio brasileiro, é apaixonado por cavalos
Émerson França, um dos profissionais de maior prestígio do Rádio brasileiro, é também apaixonado por cavalos
Flávia Raucci Facchini é Diretora de Marketing do Haras Três Rios, criatório de cavalos da raça Mangalarga, localizado em Itatiba/SP, com 40 anos de tradição.
Compartilhar

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA