Crianças, cavalos, paixão e poesia

0
1838
Nas provas equestres, as crianças aprendem sobre limites - os seus próprios e os dos seus parceiros, os queridos cavalos

A bondade dos equinos atua diretamente na formação do caráter dos pequeninos. Saiba mais sobre o assunto através da história do jornalista e leiloeiro rural Marcelo Pardini 

A relação da criança com o cavalo traz ensinamentos sobre liberdade, respeito, autonomia, parceria, amor, amizade, agilidade, cautela, concentração, criatividade e improviso. Os benefícios dessa ligação vão além e, em alguns casos, chegam a ser terapêuticos.

Por causa de tais características chegou-se a Equoterapia, atividade na qual o cavalo é o protagonista na reabilitação de adultos e crianças com Síndrome de Down, autismo, esquizofrenia, psicoses. Os equinos ajudam os humanos a superar dificuldades escolares e até problemas de relacionamentos sociais. Ah, os cavalos! Sempre tão generosos…

Se você tem crianças na família, vale a pena apresentá-las ao universo equestre. Mas já vou lhe avisando: é um caminho sem volta, pois elas se apaixonarão! Ao conviver com esse incrível animal, elas se dão conta da grandeza do coração dele e, ao montá-lo, sentem que a vida ganha novas cores, os horizontes se ampliam e a felicidade é certa. Uma benção!

Quem teve a sorte e o privilégio de conviver desde a tenra idade com os cavalos é Marcelo Pardini, um dos profissionais mais carismáticos e versáteis que já conheci no meio rural. Ele é cavaleiro, jornalista, pós-graduado em Comunicação Publicitária e Marketing, leiloeiro rural há mais de 12 anos e, para a surpresa de muitos, poeta. Conheça a história deste amigo, que é movido à paixão e realiza o seu trabalho com muita alegria e prazer:

“A ligação que tenho com os cavalos é intrínseca à minha vida. Com poucos meses de idade, eu já estava no colo do meu pai (Dr. João Tomás) montado num cavalo. Aos 02 aninhos eu já montava sozinho e, aos 9, passei a competir nas provas de Baliza e Tambor. A minha família está ligada à terra há três gerações. Sou de São Paulo, mas passávamos os finais de semana no nosso sítio, em Botucatu (a 220 Km da capital). As minhas primeiras lembranças com os equinos são muito especiais”, diz Pardini.

Arquivo pessoal
Imagem de 1984 - Marcelo Pardini, aos dois anos de idade, acompanhado do pai e do seu primeiro cavalo, o Pampa
Imagem de 1984 – Marcelo Pardini, aos dois anos de idade, acompanhado do pai e do seu primeiro cavalo, o Pampa

Pardini conta que as suas lembranças mais doces estão ligadas a esse período. Tal vivência fez com que a sua paixão pela escrita aflorasse. Ele escreve poemas desde os 15 anos e os seus primeiros versos foram inspirados pela vida simples do homem do campo. A sua ligação com os cavalos era tão forte, que durante a semana a sua principal brincadeira com o irmão, Rafael, era simular os movimentos dos cavalos de competição. “Não corríamos como crianças normais, nós galopávamos pelos cômodos da casa (risos)”, diverte-se.

Na propriedade da família, o jovem profissional teve contato com cavalos de várias raças: Mangalarga, Mangalarga Marchador, Crioulo e Quarto de Milha. Em 1989, quando o seu pai e sua mãe, Dra. Teresa, fundaram o Haras MRM (as iniciais dos três filhos – Mariana, Rafael e Marcelo), eles optaram pela criação do Appaloosa, raça oriunda dos Estados Unidos, famosa por ter sido selecionada pelos índios norte-americanos, e que estava chegando ao Brasil naquela época. O universo em que viviam conspirou para que ele e irmão se tornassem bons cavaleiros – ganharam títulos paulistas, nacionais e pan-americanos.

“O cavalo muito contribuiu para a formação do nosso caráter. Ele nos proporcionou um ambiente saudável e familiar, onde aprendemos a ter respeito pelo próximo e, sobretudo, pelos animais. O cavalo nos ensinou a ter noções de limites. E as provas equestres nos fez conviver com pessoas de diferentes credos e classes sociais, em clima sempre agradável!”.

Arquivo pessoal
O cavalo ajuda as pessoas a serem melhores. A sua bondade contribui para a formação do caráter das crianças
O cavalo ajuda as pessoas a serem melhores. A sua bondade contribui para a formação do caráter das crianças

Pardini reforça a importância de sempre trabalharmos e vivermos no mais alto grau ético-moral, especialmente no atual cenário sócio-político-econômico brasileiro. “Dentro das minhas possibilidades, qualidades e defeitos, eu me esforço para ser o melhor que posso. Penso ser este o meu legado: atitudes positivas. Sendo bom, eu contagio os outros a serem bons, daí vamos formando uma corrente do bem”. Ele encerra o nosso prazeroso bate-papo com uma citação de Francisco de Assis: “comece fazendo o que é necessário, depois, o que é possível. E, de repente, você estará fazendo o impossível”.

Quem conhece o Marcelo Pardini não se torna amigo, torna-se fã!

Nelsinho Servilheira
Marcelo Pardini reforça que quanto mais próximos dos cavalos estamos, melhores pessoas nos tornamos
Marcelo Pardini reforça que quanto mais próximos dos cavalos nós estamos, melhores seres humanos nos tornamos
Flávia Raucci Facchini é Diretora de Marketing do Haras Três Rios, criatório de cavalos da raça Mangalarga, localizado em Itatiba/SP, com cerca de 50 anos de tradição.
Compartilhar

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA