Memória de cavalo

0
1242

Os elefantes que se cuidem: estudos recentes apontam que os equinos têm memória extraordinária. Saiba mais sobre este e outros assuntos acerca da turma do relincho

“Memória de elefante” é uma expressão idiomática na língua portuguesa, que é utilizada para se referir às pessoas que se lembram perfeitamente de fatos e acontecimentos, e também não se esquecem facilmente de pequenos detalhes. A memória é a função mental que permite reter informações e assimilar novos conhecimentos. Quando treinados, os cavalos são capazes de aprender mais rápido do que outros animais e, depois de aprendido, os equinos jamais esquecem. Eles têm bom senso de direção, conseguindo lembrar de locais onde encontraram comida, abrigo e água, além de se atentarem para locais onde lhes suscitaram perigo e ameaça de predadores. Tudo isso graças à capacidade de recordar eventos que os marcaram, tanto de maneira positiva quanto negativamente.

Quando passam por uma má experiência, os cavalos guardam tal lembrança durante longos anos. Mas, quando tratados com carinho e gentileza, eles se recordam das pessoas e das circunstâncias para sempre. Mesmo distantes, quando há o reencontro, o sentimento de amizade e gratidão são os mesmos.

Acredita-se que o cavalo com apenas um ano de idade já tenha aprendido mais de 70% do que precisa saber em toda a sua vida. Por isso, os cuidados de manejo nos primeiros meses, bem como o adestramento correto posteriormente são tão importantes para a saúde mental do equino. Depois de memorizado, o mau hábito não chega a ser impossível de ser corrigido, mas se torna bem difícil de mudá-lo. Atenção redobrada no contato diário!

Norberto Cândido
O cavalo tem memória vasta, que é capaz de armazenar aprendizados para a vida toda
O cavalo tem memória vasta, capaz de armazenar aprendizados para a vida toda, por isso o bom adestramento é importante

Segundo pesquisa realizada pela Universidade da Bretanha, na França, a memória dos cavalos vai muito além do que imaginamos. Os equinos se comportam, aprendem e memorizam melhor quando estimulados de forma positiva, criativa, desafiadora, não entediante e, acima de tudo, não agressiva. Recompensas, como um carinho ou uma conversa em tom calmo e agradável, também funcionam. Experimente-os! O manejo e a convivência se tornarão mais simples e prazerosos.

Essas são apenas algumas das admiráveis habilidades cognitivas desses animais tão dóceis e inteligentes. Treine e ensine os seus cavalos com respeito, carinho e gentileza. Eles memorizam tais cuidados, retribuem e agradecem…

As ferraduras pelo caminho
No passado, quando ainda não havia o hábito de se colocar ferraduras, o casco dos cavalos sofria grande desgaste e o animal ficava inabilitado para o trabalho, esporte ou lazer. Foi por volta do Século X que surgiu o costume de se colocar a proteção de ferro nos equinos. Além de proteger, a ferradura aumenta a tração das patas, compensa os defeitos de formação da “unha equina” e reduz as irregularidades do andamento.

Hoje em dia, muitos cavalos passam a maior parte do tempo nas cocheiras. Por isso, os seus cascos não se desgastam naturalmente, sendo assim, precisam ser aparados, para evitar que se quebrem ou deformem. Quando os cascos dos equinos crescem de forma desigual podem causar uma série de problemas ao animal.

As ferraduras são importantes porque ajudam a preservar o casco, poupando a sola do mesmo de grandes impactos. São colocadas por pessoas treinadas, conhecidas como ferradores ou ferreiros, e são presas por uma série de cravos na parte “morta” do casco, sendo este o motivo pelo qual não causa dor. Mesmo assim, é preciso tomar cuidado para que a sua fixação seja eficiente. Uma boa análise da estrutura do casco desempenha um grande papel na escolha da ferradura e do material apropriado para cada cavalo.

Alguns cavalos não têm problema em ficar sem ferradura, enquanto outros precisam delas para viver confortavelmente e sem dor. Solicitar visitas periódicas de profissional especializado para atender corretamente as necessidades do seu cavalo é fundamental.

A ferradura é considerada, em várias culturas, um amuleto que traz proteção, sorte e felicidade. Um talismã poderoso, que atrai a prosperidade, afasta o azar e as energias negativas. Há quem acredite que ela deva ser de ferro (material que atrai sorte), encontrada pelo caminho e ter 7 cravos. Para obter proteção, a ferradura deve ser colocada sobre a porta de entrada da casa, com as pontas viradas para cima. Para atrair boa sorte, ela deve ser posicionada com as pontas para baixo. Acredito nisso e já encontrei a minha! Hoje, utilizo-a como peso de papel no meu escritório. Além de proteção e boa sorte, creio que a ferradura simboliza a excelência, o trabalho e a prosperidade. E, você, já encontrou a sua?

Férias a cavalo
Andar a cavalo é uma excelente opção de lazer e um ótimo passeio para fazer com a família. Mesmo pessoas que nunca tiveram contato com os equinos podem participar desta atividade. Basta seguir algumas recomendações:

  • Exija a presença e o acompanhamento de um instrutor.
  • Preste atenção às orientações básicas para a condução do animal.
  • Observe se os animais são dóceis e bem treinados.
  • Utilize roupas e equipamentos adequados.

Além de apreciar as paisagens naturais, as cavalgadas se tornam momentos inesquecíveis. Aproveite para fazer lindas fotos ao explorar a região visitada. Então, mãos à obra! Curta o finalzinho das férias e receba o melhor que o cavalo pode lhe oferecer. Colecione momentos de prazer e diversão, trazendo para casa novas experiências e histórias pra contar.

Para quem é da capital paulista, tenho uma deliciosa sugestão de passeio: passar uma tarde no Jockey Club de São Paulo, no hipódromo de Cidade Jardim, que continua majestoso e encanta a todos com o seu glamour, excelentes restaurantes, bares, food trucks, espaço kids, extensa área verde, exposições, mostras, eventos e os famosos programas de corridas. Nos finais de semana, a visitação é gratuita e tem passeios a cavalo para a criançada, que é sempre bem-vinda e, por incrível que pareça, também vibra com os páreos de longa distância.

Marcelo Pardini
As belezas e os encantos do hipódromo de Cidade Jardim, em São Paulo, um passeio prazeroso para toda a família
As belezas e os encantos do hipódromo de Cidade Jardim, em São Paulo, um passeio prazeroso para toda a família

O Jockey Club de São Paulo foi fundado em 14 de março de 1875, sob o nome de “Club de Corridas Paulistano” e sua primeira praça de corridas foi o Hipódromo da Moóca, na rua Bresser. Mais tarde, em 25 de janeiro de 1941, foi inaugurado o atual hipódromo de Cidade Jardim. Além de ser uma das instituições mais antigas da metrópole, é parte viva da história paulistana e patrimônio tombado pela Secretaria de Cultura do Estado.

Eu amo ir ao Jockey! Meu pai e o meu avô paterno tinham cavalos de corrida, e a minha infância ficou marcada por momentos muito agradáveis, vividos em família durante os finais de semana enquanto acompanhávamos os treinos, as corridas e as vitórias no hipódromo. Foram essas experiências que despertaram a nossa grande paixão pelo mundo dos cavalos. Não é preciso ser sócio ou especialista em corridas de cavalo para frequentar Cidade Jardim. Para lazer, negócios, almoço ou apenas para passar horas agradáveis, o passeio é certeza de muita diversão e pura emoção! :)

Flávia Raucci Facchini é Diretora de Marketing do Haras Três Rios, criatório de cavalos da raça Mangalarga, localizado em Itatiba/SP, com cerca de 50 anos de tradição.
Compartilhar

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA