A preparação para as Copas de Marcha

0
856

Confira algumas dicas para participar dessas concorridas competições, que vêm ganhando espaço em todo o país, distribuindo alta premiação aos vencedores

Muito admirado pela beleza, maciez e comodidade, o cavalo Mangalarga tem proporcionado grande prazer aos amantes da boa marcha. Conhecido como “o cavalo de sela brasileiro”, a raça encanta a todos nas muitas exposições realizadas por todo o Brasil.

Dono de uma beleza ímpar e de uma morfologia incrível, o cavalo Mangalarga tem como ponto forte a marcha macia e progressiva. Trata-se de uma raça genuinamente brasileira e que ganha novos adeptos a cada ano. No entanto, muitos apaixonados pelo bom cavalo de sela não têm estrutura adequada para o treinamento de seus equinos ou não contam com profissionais qualificados para a apresentação dos mesmos nas exposições.

Esse público, formado em sua maioria absoluta por usuários de cavalos, ou seja, pessoas que têm um ou dois animais, está cada vez mais empolgado com as Copas de Marcha e os poeirões, disputas que acontecem por todo o país e que vêm ganhando força, haja vista que atraem competidores, espectadores, patrocinadores e novos interessados pela raça. Por ser de certa forma fácil a participação nessas competições, o número de inscritos tem aumentado consideravelmente, seja em relação a criadores, expositores e usuários.

Se você também deseja participar de um desses eventos, é importante estar atento à algumas dicas de preparação e treinamento. Geralmente, em início de doma, é comum que se inicie o trabalho no redondel. Lembre-se: o exercício excessivo é prejudicial, pois compromete as articulações e os tendões do cavalo, fazendo com que a vida esportiva dele seja comprometida e, na maioria das vezes, sem volta às pistas. Então, vá sempre devagar para se chegar longe. As primeiras etapas servem para certificar que o animal está responsivo aos comandos do treinador, mostrando bom flexionamento e boa elasticidade nos movimentos, além de impulsão com mais vigor e cadência durante a marcha.

Marcio Mitsuishi
O bom condicionamento físico é importante para o rendimento positivo na prova
O bom condicionamento físico é importante para o rendimento positivo durante a prova

Nas provas, os jurados avaliam os seguintes itens: passo, marcha, galope e morfologia. Portanto, durante as sessões de treinamento é preciso marchar em diferentes velocidades e também testar a nossa montaria na estrada e na pista, numa extensão do trabalho do redondel, tudo de forma leve e gradativa, sempre em defesa do bem-estar animal.

Para que a nossa tropa tenha um bom condicionamento, o treinamento deve ser alternado. O ideal é que se faça pelo menos cinco minutos ao passo antes de qualquer trabalho, a fim de que haja o aquecimento. Tais cuidados são importantíssimos. Trabalhe-o primeiramente ao passo, de forma tranquila e relaxada. A resistência é fundamental, além de um diagrama estabilizado, pois o ritmo de prova será intenso e, sem uma musculatura preparada, o animal não suportará o esforço e com certeza perderá o rendimento.

O ideal é que os trabalhos sejam alternados. Além do exercício de estrada ou pista, a natação é uma excelente atividade para aumentar a capacidade respiratória do animal, além de fortalecer a sua musculatura.

O galope lento melhora a elasticidade dos movimentos, proporcionando mais rendimento na marcha. Na pista, é importante ir ao passo, depois, tocar na toada da marcha. Executa-se a figura da serpentina, com transições à direita e à esquerda, para favorecer o equilíbrio, a coordenação e a impulsão, além de fortalecer a musculatura em geral, tanto de pescoço como de dorso, lombo e garupa. Esses exercícios favorecem ainda o posicionamento da cabeça e a flexão de nuca do seu animal-atleta.

Devemos começar o trabalho de maneia leve e ir aumentando a cada dia. O tempo de prova varia entre 40 e 60 minutos, de acordo com o número de inscritos na categoria. Por isso, o condicionamento é tão importante, para que o animal não se canse e mantenha a regularidade do começo ao fim da apresentação.

Divulgação
O Editor-chefe do Portal InfoHorse, Marcelo Pardini (ao centro), em visita ao Rancho Bigorna
Silvio Parizi e Dalva Marques recebem Marcelo Pardini no Rancho Bigorna

Além do treinamento, é importante o ferrageamento equilibrado e a alimentação balanceada. Sal mineral e água limpa à vontade. Podemos também usar os suplementos vitamínicos, tão disseminados no mercado, para ajudar no desempenho da tropa, porém, tal prescrição deve sempre vir de um médico veterinário especializado em Nutrição.

Venha para as Copas de Marcha você também! Isso tudo é… um verdadeiro espetáculo! :)

Dalva Marques é treinadora de cavalos e muares, além de jurada de competições de Marcha. Ao lado do marido, o também cavaleiro, Silvio Parizi, ela comanda o Rancho Bigorna, em São Sebastião da Grama/SP.
Compartilhar

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA